ESPECIAL DIA DAS MÃES

“DEPOIS QUE EU FUI MÃE EU ESTOU MAIS SATISFEITA COM MEU CORPO DO QUE JAMAIS ESTIVE ANTES”

Priscila Dau, mãe, DJ e dançarina burslesca revela sua intimidade e como conquistou seu empoderamento sexual

Priscila Dau, mãe, DJ e dançarina bursleca revela sua intimidade e como conquistou seu empoderamento sexual
Priscila Dau, mãe, DJ e dançarina burslesca revela sua intimidade e como conquistou seu empoderamento sexual – Credito: Naruzka Varela (Naruzka Acessórios)

Priscila Dau tem 29 anos e é mãe solo da Miranda, de 1 aninho. Uma gravidez não planejada, o que não é uma situação incomum no Brasil. Segundo a pesquisa “Nascer no Brasil”, da FIOCRUZ, 55% das mulheres não planejaram ficar grávida.

Dança burlesco desde os 21 anos, o que fez parte de seu processo de empoderamento sexual. O Burlesco é a arte de contar uma história por meio da sensualidade e a dança, que se juntam ao humor e ao exagero para criar diversas narrativas, que podem ser cotidianas, universais ou mesmo políticas. Não falta glamour em suas produções, sempre muito ousadas. A dança tem sua origem na França e se popularizou pelo mundo sempre marcado pela sátira, nudez e muita sensualidade.

Priscila não para. Também é DJ. Trabalhou com a banda Matanza, já tocou no Circo Voador, com João Gordo, no Imperator e hoje é DJ residente no Bar Empório 37 em Ipanema no Rio e toca também em São Paulo, além disso, toca em festas super badaladas.

Começou sua vida sexual na adolescência, mas só foi descobrir o que é orgasmo no início da vida adulta. Segundo pesquisa da USP, apenas 22% das brasileiras tem orgasmo. É um número muito baixo ainda. E Priscila lamenta que muitas mulheres ainda não cheguem lá.

 “Eu tive uma criação muito tradicional, e eu iniciei minha vida sexual relativamente nova, com 14 para 15 anos e eu só fui realmente entender o que é orgasmo com uns 18 e depois eu comecei a entender o que eu gostava e eu realmente tomava conta da minha sexualidade quando eu tinha uns 20 e poucos anos. E foi tudo muito natural para mim. Eu sempre tive isso, a sexualidade, eu sempre gostei da sensualidade, é uma coisa inerente à minha personalidade. Não sei qual é o termo, eu fico um pouco chocada, frustrada ou triste quando eu vejo depoimentos de mulheres que tem uma vida inteira e nunca sentiram orgasmo, nunca conseguiram se apropriar da sua sexualidade”

Teve sua filha de parto natural, com doula, e lutou muito por isso. O Brasil é o segundo país com a maior taxa de cesáreas do mundo e é uma bandeira de muitas mulheres, incluindo a Priscila, que o parto volte a ter o protagonismo feminino e seja como a mulher desejar. O parto faz parte da vida sexual da mulher, parto é sexo, defende Priscila.

Priscila Dau, mãe, DJ e dançarina bursleca revela sua intimidade e como conquistou seu empoderamento sexual
Priscila Dau, mãe, DJ e dançarina burslesca revela sua intimidade e como conquistou seu empoderamento sexual – Acervo pessoal

“Foi uma gravidez que não foi planejada, eu não estava com o pai da minha filha (….) eu sempre soube que eu quis tê-la (…) e o mais importante do meu processo de gestação foi a força que eu vi que eu tinha sendo mãe solo. Hoje eu vejo o quanto foi importante para meu desenvolvimento, do que eu me tornei hoje, me empoderou de eu me impor e colocar limite. Nunca tive tanta coragem e nunca fui tão determinada do que depois que eu engravidei e tive minha filha. Eu saí do sistema do parto como ele é institucionalizado na nossa sociedade, eu fui em busca de um parto humanizado, tive uma doula, deixei de ser atendida pelo plano de saúde porque pra mim ficou bem claro que o médico que estava me atendendo ia roubar meu parto e eu fui pro SUS. Fui chamada de maluca pra baixo.”

Como conselho para as mulheres, ela pede que se toquem, literalmente.

Priscila Dau, mãe, DJ e dançarina bursleca revela sua intimidade e como conquistou seu empoderamento sexual
Priscila Dau, mãe, DJ e dançarina burslesca revela sua intimidade e como conquistou seu empoderamento sexual – Credito: Naruzka Varela (Naruzka Acessórios)

“Acho que você tem que se permitir, ter os desejos que você tem, e você se conhecer. Se toque onde é que você gosta mais, como você gosta. Se você tem um parceiro fixo, proponha. Eu acredito em outra coisa, se você tem uma tara, ou um jeito e o parceiro que você está não curte, desculpe ‘esse não é para você, gata, troque de homem’, porque eu acho que tem que ser recíproco”.

Priscila Dau abriu as portas de sua casa em Botafogo para a equipe do Infosex e contou sobre sua vida sexual, empoderamento e maternidade.

Confira no vídeo especial de dia das mães.

Priscila Dau, mãe, DJ e dançarina bursleca revela sua intimidade e como conquistou seu empoderamento sexual
Priscila Dau, mãe, DJ e dançarina burslesca revela sua intimidade e como conquistou seu empoderamento sexual – Crédito: Carol Loureiro

“O meu empoderamento [sexual] começou aos 21 quando eu fiz meu primeiro vídeo de burlesco com meu amigo. Foi a primeira vez que eu pude expor esse meu lado. E eu lembro que na época eu fiquei morrendo de vergonha. Hoje eu vejo como evoluí em como trabalhar com meu corpo, expor o meu corpo” – Priscila Dau.

Priscila Dau, mãe, DJ e dançarina bursleca revela sua intimidade e como conquistou seu empoderamento sexual
Priscila Dau, mãe, DJ e dançarina burslesca revela sua intimidade e como conquistou seu empoderamento sexual – Crédito Carol Loureiro

“Empoderamento sexual para mim é quando a gente se permite descobrir os prazeres, sentir prazer, se conhecer, saber o que você gosta e não ter vergonha disso. A gente é criada de uma forma que podam a gente. Sexo é tabu, sexualidade é tabu” – Priscila Dau

 

1° ESPECIAL DIA DAS MÃES - Priscila Dau, mãe, DJ e dançarina burslesca revela sua intimidade e como conquistou seu empoderamento sexual 1

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here