ORGASMO FEMININO: MITOS E VERDADES DO PRAZER DA MULHER

Tudo o que você não sabia sobre clímax feminino e como alcançá-lo

ORGASMO FEMININO: MITOS E VERDADES DO PRAZER DA MULHER Tudo o que você não sabia sobre clímax feminino e como alcançá-lo
ORGASMO FEMININO: MITOS E VERDADES DO PRAZER DA MULHER
Tudo o que você não sabia sobre clímax feminino e como alcançá-lo

Segundo pesquisa da USP, um terço das mulheres brasileiras nunca chegaram ao orgasmo, nem com penetração nem durante a masturbação. É um dado bastante preocupante.

Cercado de tabus, o orgasmo feminino só passou a ser estudado recentemente. Até o século XIX era tratado como histeria, e rendia até internações.

A masturbação também não contempla a maioria das mulheres, muitas não se tocam por medo ou vergonha. Conversar com o parceiro sobre o que gosta também  parece ser fora de questão, muitos homens são preocupados com a própria performance, pensando agradar à parceira.

Parece um caminho tortuoso mas, nesse artigo, desmistificaremos o orgasmo feminino e ensinaremos como chegar lá.

MUITA CALMA NESSA HORA.

A resposta sexual da mulher tem quatro etapas. Começa pelo desejo, passa para a excitação que vai crescendo, chega ao orgasmo e termina num período chamado de resolução, que é quando a mulher vai relaxando.

A mulher tem dois pontos de excitação em sua genitália: o clitóris e a vagina. E são duas sensações diferentes. O orgasmo clitoriano é mais “fácil” de alcançar, com estimulação do pênis em certas posições, dos dedos ou mesmo de vibradores. O orgasmo vaginal é um pouco menos comum entre a população feminina e depende da penetração, toques ou mesmo de vibradores. Precisa estar muito relaxada e entregue ao momento.

A fisiologia de ambos é praticamente a mesma e apenas a mulher tem dois pontos em que pode excitar-se. Não há uma via específica que encaminha para um local ou outro. Acontece que, às vezes, elas aprenderam a excitar-se no clitóris e fica difícil transportar essa forma de obtenção de prazer para dentro da vagina. O orgasmo dentro da vagina é mais amplo e espalha-se pelo corpo de forma mais intensa. O clitoridiano é mais silencioso, mais restrito.

O orgasmo vaginal simultâneo com o parceiro, tão comum nos filmes e tão buscado pelos casais é um mito. As mulheres não devem ficar se cobrando o orgasmo intravaginal simultâneo, pois é muito difícil duas pessoas chegarem ao mesmo tempo ao fim do ato sexual todas as vezes que se relacionam.

Para o orgasmo feminino, o parceiro deve ser muito paciente e atento aos sinais das mulheres. A pele, o maior órgão sexual que possuímos, desempenha papel importante nesse processo. Estimulada, faz com que uma série de neurotransmissores entrem em ação e transmitam informações aos genitais para que sejam liberadas secreções visando à lubrificação do local.

Os músculos relaxam, o corpo fica alerta, a respiração mais acelerada e o coração bate mais forte a fim de irrigar a zona onde a excitação é mais intensa. O orgasmo não se limita aos órgãos genitais. É uma sensação que toma o corpo todo e começa no cérebro através do desejo, que é estimulado pelos órgãos dos sentidos e pela imaginação. É no cérebro que a pessoa se libera para o ato sexual.

Para alcançar o famoso ponto G e proporcionar o orgasmo vaginal intenso, não é com a penetração profunda. É necessário estimular o terço inferior da vagina para aumentar o prazer da mulher. Por outro lado, a borda da vagina também é muito excitável.

Se o homem tiver tranquilidade suficiente para excitar essa região e, só depois, pouco a pouco ir penetrando, além de propiciar maior prazer à mulher, oferecerá a oportunidade de aprender a explorar o prazer intravaginal. Às vezes, porém, ele se excita demais, não consegue controlar a situação e perde a continuidade do ato. Como se vê, fazer sexo é uma questão de treino para ambas as partes.

ORGASMO FEMININO: MITOS E VERDADES DO PRAZER DA MULHER Tudo o que você não sabia sobre clímax feminino e como alcançá-lo
ORGASMO FEMININO: MITOS E VERDADES DO PRAZER DA MULHER
Tudo o que você não sabia sobre clímax feminino e como alcançá-lo

Dicas para atingir o orgasmo com mais facilidade 

  • – Converse com o seu parceiro sobre o que mais gosta ou não gosta no sexo
  • – Não se prenda só ao orgasmo, aproveite todo o sexo
  • – Toque seu próprio corpo com regularidade, aproveitando e se deliciando das zonas erógenas
  • – Esqueça os problemas e aproveite o momento com tranquilidade

Como reconhecer que você teve um orgasmo 

  • – Podem acontecer contrações involuntárias da plataforma orgástica (parte externa da vagina)
  • – O clitóris fica ereto e sensível ao toque
  • – Os lábios vaginais ficam inchados e podem ficar mais escuros
  • – A respiração, a pressão sanguínea e os batimentos cardíacos aumentam
  • – Perde-se o controle muscular voluntário, podendo ocorrer diversas contrações de músculos, do rosto, braços e pernas
  • – Segundos depois do orgasmo, pode aparecer uma sensação de relaxamento e tranquilidade
ORGASMO FEMININO: MITOS E VERDADES DO PRAZER DA MULHER Tudo o que você não sabia sobre clímax feminino e como alcançá-lo
ORGASMO FEMININO: MITOS E VERDADES DO PRAZER DA MULHER
Tudo o que você não sabia sobre clímax feminino e como alcançá-lo

TREINAR PARA CHEGAR LÁ

Assim como uma maratona, é preciso treinar para chegar lá. E é importante dizer que o aprendizado está na caminhada e não na linha de chegada

  •  Posições sexuais

As posições sexuais interferem no estímulo para a mulher e algumas facilitam a descoberta do prazer. A sugestão é tentar posições que permitam a penetração e o estímulo ao clitóris ao mesmo tempo.

  • Brinquedos eróticos

ORGASMO FEMININO: MITOS E VERDADES - 4 Dicas para atingir o orgasmo 1

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here