7 pontos sobre relacionamento aberto para avaliar se funciona pra você

7 pontos sobre relacionamento aberto para avaliar se funciona pra você
7 pontos sobre relacionamento aberto para avaliar se funciona pra você

Uma questão de cultura

A monogamia é cultural. Certas religiões, com destaque para alguns grupos mórmons e os muçulmanos aceitam naturalmente a poligamia. De fato, boa parte dos países que seguem a lei islâmica, a sharia, permite oficialmente a prática. O Alcorão permite ao homem ter até quatro cônjuges, limite que foi “copiado” por boa parte das legislações favoráveis à prática. Dentro da filosofia islâmica, a lógica é de que o homem é polígamo por natureza, enquanto que a mulher possui a tendência de permanecer com um só parceiro. Assim, para evitar uma situação hipócrita de relações extraconjugais, a poligamia é considerada como natural dentro das comunidades de religião muçulmana.

Em sociedades mais tradicionais da África subsaariana, a poligamia existe sem estar necessariamente relacionada a questões religiosas. Mais do que ser aceita, ela é até mesmo incentivada entre os homens, pois as crianças são valorizadas nessas sociedades, e a procriação é considerada uma razão para a prática da poligamia e outras formas de casamento que poderiam ser consideradas mais ou menos estranhas pela perspectiva de outras culturas.

Pesquisas apontam que 50 % dos homens e 30 % das mulheres admitem já terem traído o parceiro em algum momento. Com isso, parece lógico buscar outras formas mais abertas de relacionar. Para quem ainda está em dúvida, o conteúdo a seguir busca esclarecer os conceitos e algumas dicas para caso decida vivenciar um relacionamento aberto.

AS PESSOAS VIVEM RELACIONAMENTOS DENTRO DAS SUAS POSSIBILIDADES EMOCIONAIS. ISSO ENVOLVE EMOCIONAL, MORAL, INTELECTUAL E, PASME, FINANCEIRO. TUDO AQUILO QUE PODE PARECER ESTRANHO E ABSOLUTAMENTE INACEITÁVEL PARA UNS, É INCRIVELMENTE ACEITÁVEL, E ATÉ DESEJÁVEL, PARA OUTROS. JULGAR O RELACIONAMENTO ALHEIO PELO SEUS PARÂMETROS DIZEM MUITO SOBRE O RELACIONAMENTO DE QUEM JULGA.

Entretanto, se é mais uma forma de vivenciar as relações afetivas, e não promiscuidade e traição, o que de fato vem a ser um relacionamento aberto e como ele afeta a vida da mulher que opta por essa modalidade? É o que veremos a seguir.

O QUE É UM RELACIONAMENTO ABERTO?

Ainda é um tabu, por muitas vezes envolver múltiplos parceiros sexuais, contrariando a expectativa de exclusividade sexual da maioria dos relacionamentos. Para muitos, pessoas o relacionamento aberto consiste em algo que, em termos populares, só poderia ser descrito como putaria, falta de caráter ou mesmo falta de amor. Os adeptos dizem o contrário disso.

Para eles, num relacionamento aberto há compromissos relativos que são pré-estabelecidos pelo casal, lembrando sempre que o envolvimento com terceiros é algo que ocorre fisicamente falando. Ou seja, os dois devem concordar com isso e se envolver com outras pessoas deve respeitar a rotina daquele casal. Há uma separação entre sexo e afetividade, o que pode parecer difícil num primeiro olhar. É importante que todas as pessoas envolvidas nesse tipo de relação estejam completamente cientes e sejam capazes de fazer essa separação.

Amor envolve mais que sexo para quem é adepto do relacionamento aberto. Amor envolve parceria, honestidade, comprometimento, divisão de tarefas, confiança e, claro, amor propriamente dito. Não ter exclusividade sexual não implica, necessariamente, que o tesão entre o casal teve fim. É apenas uma outra forma de se vivenciar as relações afetivas.

Para a mulher, cuja função de ser esposa, recatada e do lar já foi pré-estabelecida na estrutura patriarcal, um relacionamento aberto pode parecer estranho à primeira vista, principalmente para outras pessoas como amigos e familiares. Porém, é importante estabelecer que qual seja a modalidade de relacionamento escolhida, deve ter a ver com seus valores e trazer satisfação amorosa e sexual, empoderando-a na relação.

7 pontos essenciais para avaliar se o relacionamento aberto serve para você

7 pontos essenciais para avaliar se o relacionamento aberto serve para você
7 pontos essenciais para avaliar se o relacionamento aberto serve para você
  1. Relacionamentos são mutáveis, não existe uma única forma de se relacionar

  2. Amor não garante qualidade de relação. É possível amar mais de uma pessoa.

  3. O modelo monogâmico ou poliamoroso não responde, necessariamente, por si só, por todas as questões e dúvidas no relacionamento.

  4. Qualquer forma de amar pede a compreensão de suportar fatores como a tensão entre desejo e lealdade, liberdade e responsabilidade e, por fim, individualidade e companheirismo.

  5. Existem 7 bilhões de pessoas no mundo com personalidades e sentimentos diferentes, sua forma de pensar e o que esperar de um relacionamento pode não ser parecida com a do seu parceiro.

  6. Há uma separação nada tênue entre afetividade e amor. Tem que estar atento para fazer essa separação todo o tempo.

  7. Para que o relacionamento aberto funcione, por incrível que pareça, deve haver total confiança e parceria entre os dois.

Alguns conselhos de convivência numa relação aberta

Alguns conselhos de convivência numa relação aberta
Alguns conselhos de convivência numa relação aberta

Ambos devem estar de acordo

Em qualquer decisão dentro de um relacionamento, ambos devem estar de total acordo, caso contrário, trará dor e sofrimento. Com o relacionamento aberto não seria diferente. Todos os pontos tem que ser muito bem discutido e estarem esclarecidos ao máximo.

Sem segredos

O ideal é que não haja mentiras ou segredos. Construir um relacionamento transparente em que o outro saiba exatamente no que está envolvido é a chave do sucesso.

Todos os envolvidos também devem estar de acordo

Até aqui deu para entender que segredos e mentiras não fazem parte de um relacionamento aberto, certo? Isso vale também para as pessoas que serão envolvidas nessa relação. É possível que nem todos saibam separar sexo de afetividade, mas o mínimo a ser feito é uma conversa honesta para que não se crie expectativas.

Com quem sair?

Há acordos em que o casal decide que não sairão com pessoas do mesmo círculo social para que não haja constrangimento. Isso não é uma regra, mas é um ponto a se pensar.

Sexo seguro, sempre!

Para evitar não só uma gravidez indesejada, mas doenças sexualmente transmissíveis. Sexo seguro é uma forma essencial de manter não só a integridade do casal, mas de todos os envolvidos na relação.

Vale lembrar que não são regras rígidas ou a serem seguidas ao pé da letra, cada relacionamento é único, assim como as pessoas. O que vale é o que é saudável e trouxer prazer e felicidade para você.

Relacionamento aberto funciona na vida real? 7 pontos para avaliar 1

2 COMMENTS

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here